24 outubro, 2009

O GOERING SOCRÁTICO

Augusto Santos Silva foi ministro da Educação. Depois, foi ministro da Cultura. Agora, é ministro da Defesa. Como é que o mesmo homem passa para a Defesa depois de ter passado pela Educação e pela Cultura?
Encontro apenas uma explicação minimamente verosímil. Quando Santos Silva ouve falar de cultura apetece-lhe logo puxar da pistola.

4 comentários:

jrd disse...

Percebe-se e desculpa-se a fina ironia e a comparação excessiva, mas, mantendo o mesmo registo "metafórico", digamos que o papel de Goebbels lhe assentava melhor...

José Ricardo Costa disse...

Eu sempre associei a frase a Goebbels. Até já a tinha citado associando-a ao ministro da Propaganda. Entretanto, pelo sim, pelo não, antes de postar, fui confirmar e vi-a associada a Goering. Fui agora de novo confirmar: umas vezes surge como tendo sido dita por um, outras, tendo sido dita pelo outro. Enfim, para o caso é indiferente. De qualquer modo, as minhas desculpas pelo, se for esse o caso, erro histórico.

JR

jrd disse...

Eu é que peço desculpa, porque não me fiz entender.
Também penso que a frase é de Goering.
Quando refiro Goebbels, -excessiva e metafóricamente, claro- estou a lembrar-me do papel,venerador do chefe e propagandista, que o Santos Silva desempenhou até agora.

José Ricardo Costa disse...

A errada interpretação que fiz das suas palavras deveu-se à minha insegurança no momento em que atribuí a frase a Goering, quando havia sempre pensado que era de Goebbels. Fi-lo mas sem grande convicção. Quando então li o comentário do meu amigo, os meus marcadores somáticos dispararam logo. Ou então foi o meu superego a malhar em mim (apesar de o "mim" não ser de direita), por causa do erro que supostamente havia cometido.
Ok, assim sendo, lido agora o seu comentário já liberto de sentimentos de culpa, deixe-me dizer-lhe que faz todo o sentido. Concordo absolutamente consigo.
Cumprimentos,
JR