15 outubro, 2009

MAIS POR MAIS

Se esta senhora tivesse uma cabeça menos formatada pela estatística, iria certamente perceber que "mais" poderá não significar grande coisa. O facto de haver mais alunos nas escolas não significa que andem por lá a fazer grande coisa.
Cá para mim prestariam um melhor serviço ao país, e até a eles próprios, se estivessem numa oficina, num supermercado, a trabalhar no campo ou num salão de cabeleireira a arranjar unhas. Mas como cá fora também não há muito para fazer, não fazer por não fazer, pelo menos melhoram-se as estatísticas.

4 comentários:

Alice N. disse...

Sem dúvida, a palavra "qualidade" não faz parte do léxico de MLR. Para mim, MLR é a personificação do despudorado e trágico faz-de-conta nacional. Parece, no entanto, que esta triste realidade ainda não é evidente para muita gente... Pobre país!

Margarida Graça disse...

Para mim, essa senhora que me parece ser daquelas pessoas que tem sorte incompreendida, já que tem poder nas mãos e é tão benemérita, deveria realizar a seguinte experiência, em nome de um Portugal mais letrado: manda os meninos do público para o privado, em especial certas turmas que cá sei, e os meninos do privado coloca-os no Ensino Público. Que vos parece?

Alice N. disse...

Daria resultados interessantes, de facto, sobretudo nos tão bem amados rankings.
Mas o que eu gostaria mesmo era de ver a nossa querida sinistra a dar aulas a certas turmas que nós sabemos. Por exemplo, passar-lhe-ia de boa vontade um aluno de 8.º ano a quem ando a "ensinar" que não se grunhe na aula (felizmente, certos métodos que não vêm nos manuais do eduquês estão a funcionar), que a aula é um espaço de trabalho com regras e que existem seres a quem chamamos pessoas e que devemos respeitar. Ah! gostaria tanto de ver MLR nesse ringue. Pagaria para ver. Que viesse depois falar nossa senhora da estatística e coveira do ensino de Portugal.

JMV disse...

Esta foi à traição.Cliquei em "Senhora" e fiquei atormentado pela imagem...É que como se já não bastasse a obra,a imagem só por si atormenta.