02 outubro, 2009

LXIX



"Um homem sem convicções, sem costumes, sem tradições, sem nome, nem sequer francês, avança, pelo mais estranho acaso, aparentemente, no meio de todos os partidos que agitam a França e, sem aderir a qualquer deles, é içado a um lugar de destaque".
Trata-se naturalmente de Napoleão. Só que, mutatis mutandis, caberia aqui grande parte dos políticos contemporâneos. Sem saberem ler nem escrever, chegaram onde chegaram como poderiam ter chegado a outro lado qualquer. Grande parte, são apenas reticências, pontos de interrogação, pontos de exclamação e pontos e vírgulas, dentro desse enorme texto que é a história, que ninguém sabe muito bem por quem é escrita.

Sem comentários: