14 outubro, 2009

ESSAS COISAS

Este ano calhou-me dar sociologia. Logo eu que embirro com a sociologia, como se fosse uma espécie de sarna mental.
Hoje, na aula, falei nos primórdios da sociologia. Tive que repetir a expressão várias vezes por causa de "primórdios". Entretanto, por graça, perguntei a uma aluna se não sabia o que era "primórdios". Ela disse que não entendia nada dessas coisas.

9 comentários:

estela disse...

se assim é, esses parecem ser os alunos ideais para aulas de sociologia. suponho que o processo de socialização deles tem sido tão restrito que tens aí panos para mangas ;)

Margarida disse...

Tenho uma admiração crescentemente especial pelos professores.
Além da que já embalava desde os bancos de madeira da primária, e daquela nutrida em todas as cadeiras, conversas, admoestações e risos, esta, a que cresce com um brilho indizível, brota da demonstração de resistência, esse mérito de se manterem à tona de uma certa insanidade, de um desmesurado desvario.
E aqui cabe quase tudo: a má educação, a falta de nobreza, a ausência de respeito, o desconhecimento acalentado como glória, a boçalidade pura.
Há excepções?
Seguramente, ou endoideceríamos todos.
Bravo, queridos professores!
Sois uns heróis!

Anónimo disse...

Seria curioso saber qual é o conteúdo do envólucro 'essas coisas' - isto tratando-se de uma aluna pré-universitária, porque no mundo dos "sem letras nenhumas" sabemos, mais ou menos, do que se trata.

jl disse...

Por puro lapso, esqueci-me de assinar o comentário anterior sobre (...)'Essas coisas"

Anónimo disse...

O que me espanta não é tanto a ignorância estudantil (quantos de vós, em boa verdade,sabiam o que significava primórdios aos 16, 17 anos se um professor vos não explicasse?), o que espanto faz é a confissão de um professor que apenas dá uma disciplina apenas para encher horário, mesmo embirrando com ela, mesmo sabendo que deveria ser dada por outro grupo disciplinar, onde se encontram os licenciados em Sociologia, logo mais capazes para a leccionação da dita sarna? Quantos Carmos e Trindades não caíriam se, uma vez que fosse, alguém que fosse licenciado em Sociologia se propusesse dar Filosofia, para ter mais umas horas no horário? É verdade, são coisas, mas apesar de toda a embirração, dão sempre jeito, não é?
Isabel Santos

José Ricardo Costa disse...

Cara Isabel Santos,

Eu, felizmente, não preciso da Sociologia para encher o meu horário. Tenho um horário até cheio demais.

Na minha escola não existe um único licenciado em Sociologia. E penso que um licenciado em Direito ou em Economia não estará necessariamente mais apto para leccionar Sociologia do que um de Filosofia. Já agora, o programa de Sociologia é tão elementar que até um licenciado em Engenharia Mecânica ou em Matemática o poderia leccionar.

Em tempos, na minha escola, já tivemos uma lincenciada em Sociologia e outra em História que leccionaram Filosofia sem ter caído qualquer Carmo e Trindade.

Posso estar enganado, mas acredito que se a maior parte dos jovens do meu tempo ouvisse a palavra "primórdios" no contexto em que eu a disse, repito, no contexto em que eu a disse, teria percebido.
JR

Anónimo disse...

Caro José Ricardo,
Fico feliz por saber que não necessita da Sociologia para preencher horário. Porém, sei,e sendo professora, com maioria de razão, que a Sociologia quando está fora do seu grupo de leccionação o está para isso mesmo, para permitir dar mais horas aos professores de Filosofia, que depois tanto embirram com ela. Se assim não fosse, que sentido faria atribui-la a esses professores e não aos de Matemática, de Mecânica ou, pasme-se, de Economia, seu grupo de origem? Se qualquer um dá, não vejo razão para sobrecarregar os porofessores de Filosofia com tão ignóbil missão.
P.S.: como disse, sou professora mas não de nenhum dos grupos referidos, somente conheço as linhas das cosidelas que são a distribuição de disciplinas pelos grupos quando outros interesses se levantam para lá dos que verdadeiramente deveriam contar.
Isabel Santos

José Ricardo Costa disse...

Cara Isabel, tem toda a razão numa coisa. Por vezes, o modo como se atribuem certas disciplinas aos professores é completamente absurdo. Eu já leccionei a discplina de Português vários anos porque as escolas onde estava tinham uma reduzida componente de Filosofia. Não faz qualquer sentido.
Numa outra vez, ao receber o meu horário, dois ou três dias antes de as aulas começarem, fiquei a saber que iria leccionar uma disciplina que eu nem sequer sabia que existia: Trabalhos de Aplicação.
Voltando à Sociologia. O facto de eu antipatizar com a disciplina não significa que todos os professores de Filosofia antipatizem. Conheço alguns que leccionam e gostam de leccionar. E o facto de eu não simpatizar não significa que, por isso, seja pior professor. Aliás, o meu objectivo é fazer com que os meus alunos me vejam como sociólogo. Quanto a isso, posso dormir descansado.

Cumprimentos,

JR

C.M. disse...

Como a "malta" agora adora o imglês, talvez ela percebesse se tem referido os "beginnings" da coisa...