12 outubro, 2009

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

Ontem à tarde perguntei ao meu filho se queria ir ao circo. Disse que não estava com muita vontade. Logo de seguida perguntou se era possível gravar em DVD os filmes do You Tube.

5 comentários:

Alice N. disse...

A propósito deste admirável mundo novo, lembrei-me de uma situação que presenciei há uns dias, quando almoçava num simpático pátio de um restaurante alentejano.

Perto da mesa onde me encontrava, estavam vários casais. Noutra estavam os filhos, todos adolescentes com uns 15/16 anos. Enquanto os pais conversavam animadamente, os jovens estavam mergulhados num silêncio quase total. O contraste era tão flagrante que era impossível não reparar. Uns poucos olhavam para o vazio e a maioria não parava de manusear os telemóveis. Por momentos, também fiquei a pensar neste estranho mundo novo em que parece mais fácil comunicar com os que estão longe do que com os que estão ao nosso lado. Entretanto, chegaram as abelhas (várias) e eu deixei de pensar fosse o que fosse, para divertimento de uns e estupefacção de outros (enfim, velhos medos que nos levam a fazer algumas figuras tristes). Valeram a boa companhia, a agradável conversa e a deliciosa comida alentejana. São bem melhores do que um telemóvel - trazem mais alegria e até ajudam a controlar algumas fobias. :)

José Ricardo Costa disse...

Alice, eu também já vi esse filme. Enfim.

JR

marteodora disse...

Admirável mundo novo, do José, da Alice e da Margarida...então cá vai:
na volta pelas Beiras, em dois restaurantes, verificámos que agora a moda é levar um leitor de DVD portátil, para que as crianças estejam entretidas, em silêncio, à mesa, enquanto os papás conversam despreocupadamente.
Vi isto em duas situações, uma com uma casal estangeiro e dois filhos e noutra com portugueses.
Devo confessar que me fez confusão estar sempre a avisar o meu filho, "V. fala baixo, por favor" ou "V., não podes sair da mesa, enquanto não acabarmos todos..." e etc., enquanto os outros, serenamente tinham os putos hipnotizados em frente daquilo.

Agora pergunto: numa sala de aula é preciso estr calado, sossegado e cumprir regras...o futuro é...substituir o professor pelo leitor e respectivo DVD?

Posso vir a "pagar pela língua", mas pelo menos não foi por não me ter esforçado para que o rapaz tenha domínio sobre si próprio, sem a ajua imprescindível da ecnologia de ponta!

José Ricardo Costa disse...

Margarida, não vás mais longe. Uma das razões pelas quais as famigeradas novas tecnologias estão a inundar a sala de aula, deve-se precisamente ao facto de conseguir aguentar os alunos quietos e calados. Fivam para ali entretidos no pc ou a ver filmes e assim a coisa consegue-se aguentar melhor. Eu próprio já tive que fazer isso em turmas em que praticamente não há alunos que queiram aprender seja o que for e como sabem que chegam ao fim do ano e passam, podem ir para as aulas como vão para o café.

JR

Alice N. disse...

Cara Margarida, essa do DVD portátil, realmente, é espantosa. Ao que chegámos! E isso explica muita coisa, como refere o José Ricardo.

Como a Margarida, também dou muita importância à forma como se está à mesa. Continuo a achar que boa parte da educação de uma criança se faz à mesa e que, quando certas regras estão interiorizadas, isso se repercute positivamente em muitos outros contextos (escola inclusive). O meu filho tem 15 anos e, até hoje, dei-me muito bem com isso e não me arrependo de ter sido e continuar a ser exigente. Dou-lhe os meus parabéns (é que, hoje em dia, fazer questão de educar os filhos é quase um acto de heroísmo) e vai ver que não "pagará pela língua".

José Ricardo, tem toda a razão. Professor sofre!

Alice