13 setembro, 2009

A PROBLEMÁTICA DO ALHO



Diz Oakeshott, em Politics of Faith & Politics of Scepticism que um bom governo deve ser como o alho na comida: só se deve dar por ele quando falta. Presumo que, neste sentido, o mau governo será aquele que deixa os cidadãos com um péssimo hálito a alho.
Pois, é assim que eu me sinto desde que o engenheiro tomou conta dos destinos da pátria. Está por isso na altura de esfregar bem os dentes e bochechar com um bom colutório para finalmente poder sair de casa com um hálito fresco.

3 comentários:

atento disse...

Lavar várias vezes ao dia e trazer alho no bolso. O povo diz que espanta o diabo e os vampiros.

Margarida disse...

... o que eu gosto deste blogue, senhores!!!

Anónimo disse...

Vou-me apropriar do comentário precedente e repetir:"...o que eu gosto deste blogue" (também leio com muito prazer o "A Ver o Mundo"). É refrescante saber que ainda há gente deste calibre nas redondezas. Sou visitante diário.
Um muito obrigado para o José Ricardo.
Um abraço,
Victor Pereira da Rosa