25 setembro, 2009

POESIA

Eu acho isto perfeitamente normal, ou seja, um pai matar a filha de 6 anos depois de ter passado o dia a brincar com ela. Portanto, não é digno de relevo. O que eu acho verdadeiramente maravilhoso é a forma poética e esteticamente apurada como o fez: estrangulou-a com o cinto do roupão enquanto ouviam a música de que ela mais gostava. Este homem não é um assassino. É um poeta.

3 comentários:

nefertiti disse...

É pena não ter sido um suícido...

micha disse...

...sempre achei altamente perturbador as 'musiquinhas' de criancas....

Mafalda disse...

É um poeta um pouco sádico, então.