10 setembro, 2009

O TUMOR - I



"O problema do fascínio exercido por Hitler é relativamente fácil de resolver. No fundamental, esse fascínio reduz-se àquilo a que o professor Ritter chama «a crença fanática deste homem em si próprio», e baseia-se no facto bem conhecido, cuja experiência Hitler deve ter feito muito cedo: a sociedade moderna, desesperadamente incapaz de julgar, julga cada um pelo que ele acredita ser, e toma-o por aquilo por que ele se dá. Deste modo, uma extraordinária autoconfiança oferecida em espectáculo inspira a confiança, a crença na própria genialidade inspira nos outros a convicção de estarem perante um génio". Hannah Arendt, Compreensão e Política e Outros Ensaios

3 comentários:

José Borges disse...

D. Manuel II por cima da Pintassilgo?

José Ricardo Costa disse...

Porque não? São dois seres humanos inteligentes, civilizados, cultos, católicos. Penso que nem D. Manuel se importaria de ficar por cima nem Maria de Lurdes por baixo. Se o José, entretanto, achar que poderá ser mais sensato ficar Maria de Lurdes por cima e D. Manuel por baixo, eu terei todo o gosto em mudar.

JR

José Borges disse...

Nada disso, só me chamou a atenção, nada mais.