25 agosto, 2009

JÁ ESTÁS COM OS LIVROS, JÁ ESTÁS COM OS LIVROS


O pai, depois de ouvido pela GNR de Constância, saiu em liberdade, ficando a caçadeira apreendida. Na aldeia do Fojo, o tema dominava ontem as conversas nos dois únicos cafés da localidade. "Foi um trágico acidente que envolveu e destruiu uma família muito pacata", contou ao DN um popular. Segundo descreveu, o pai do rapaz, na casa dos 40 anos, "era muito reservado e não era homem de copos. Entrava no café de manhã, a caminho do trabalho na cortiça, bebia a sua bica e depois só o víamos passar ao final da tarde, a caminho de casa".

Este excerto de uma notícia, retirada daqui é muito interessante sobretudo pelo modo como, numa frase, se caracteriza um português: "era muito reservado e não era homem de copos". Engraçado, engraçado, seria haver um país em que alguém dissesse do vizinho depois deste ter matado o filho, acidentalmente, com uma caçadeira: "Hum, era um tipo estranho. Nunca foi visto visto a ler um livro ou a entrar numa livraria".

6 comentários:

José Borges disse...

E se não me engano, na fotografia, o grande Joachim Fest, que escreveu sobre um homem que lia os clássicos e matava pessoas. O azar é que, como diz o Steiner, as humanidades não humanizam, portanto acabará sempre por ser secundário saber se o assassíno bebia ou lia.

Anónimo disse...

Por vezes acredito no dom das descobertas felizes, assim no estilo da "serendipity" de Horace Walpole. Hoje, fui duplamente bafejado pela sorte: primeiro, por ter deparado com este post e, em seguida, por ter encontrado, na biblioteca da universidade, "The Library at Night" de Alberto Manguel (que também lá estava em francês).
É um "must-read" que recomendo a todos os amantes de livros. Excelente companhia para uma tarde de fim de verão, mesmo sem copos!
Muito obrigado pelo prazer que tenho em ler "Ponteiros Parados".
Um abraço amigo,
Victor Pereira da Rosa

José Ricardo Costa disse...

Caro Vítor, obrigado pela referência. À atenção do José Borges...

JR

José Borges disse...

Disse algo de muito errado?

José Ricardo Costa disse...

Qual errado! O que eu quis dizer é que deve ser um livro interessante para si. Já andei a vê-lo na Amazon e parece ser coisa que vale a pena.

JR

José Borges disse...

Ah sim! Por acaso tomei logo nota e fui sondar os preços. Lá mais para a frente, mas sim, parece-me que vale mesmo a pena!