16 julho, 2009

UM AÇUDE EFÉMERO

Andava eu aqui embrulhada numas confusões de datas e gente morta, quando fui espreitar o blogue do Cipriano e li, retirado do seu romance Entre Cós e Alpedriz,: "que é um nome, que é uma data mais do que um açude efémero que tenta deter por um momento que seja Vida e Tempo?"

Merci bien, Zé. Já me resolveste a tarde.

Sem comentários: