02 junho, 2009

A REVOLUÇÃO NO ENSINO -III


Questão de dissertação (30 pontos): Partindo dos conceitos de imitação, representação, expressão, arte comprometida, arte formal, explore esta pintura, explicando com quais destes conceitos se identifica mais. Justifique a sua opção.


Resposta: Expressão, porque Picasso representa uma guerra que houve em Espanha mas acrescenta-lhe mais algumas coisas, como por ex: o sol é um candieiro é uma luz. Picasso tenta expressar a sua tristeza no quadro.

4 comentários:

Maria...ia disse...

"Segurem-me que eu bato-lhe"...

marteodora disse...

Tristeza, expresso EU, aqui :(

Anónimo disse...

Passando ao lado do aspecto anedótico da resposta do aluno dei comigo a pensar na difculdade que é ensinar alguém a "Pensar claro".

Lembro-me de nos meus tempos de faculdade ter lido um texto de um autor (do qual não me recordo o nome) que falava na necessidade de "pensar claro" para "escrever claro".

Haverá tarefa mais difícil que esta? Ensinar alguém a pensar já é difícil, para não dizer hercúlea em alguns casos. Mas ensinar a "pensar claro" apresenta-se, entendo eu, como mais difícil ainda.

E o que é "pensar claro"? É ter as ideias organizadinhas? - Filosofia, abstracção, conceitos, regras gramaticais, etc, todas parecem concorrer para esse propósito. Eu digo "parecem", pois nem sempre será o caso.

Deixo aqui a questão, aos professores que frequentam o blog, "como é que se ensina a pensar claro"?

José Ricardo Costa disse...

Podemos começar por pensar no que se entende por "claro"? Será o ponto de vista formal do raciocínio, o aspecto puramente lógico? Ou argumentativo? Neste último caso, a lógica é condição necessária mas insuficiente.

Pensar é uma técnica que se desenvolve como andar de bicicleta ou descascar batatas. Mas, para pensar, são necessários conteúdos. Como diria Kant, conceitos sem intuições, são vazios. Hoje, na escola, não se ensina a pensar pois a ignorãncia é tal que impede esse exercício. Há, sim, muito ruído, tagarelice, opinião. Opinião, todos têm. Fala-se de Platão pela primeira vez e vêem-se 15 braços levantados logo a quererem dar opinião. E a opinião, não pensa.

JR