18 maio, 2009

SOLDADINHOS DE BYTE


Hoje, numa aula de Psicologia, o assunto era o conformismo e a obediência. Aproveitei o assunto para falar de Adolf Eichmann, o oficial nazi que os israelitas caçaram na Argentina e sobre cujo julgamento Hannah Arendt escreveu um livro: "Eichmann em Jerusalém".

Palavra puxa palavra, falou-se de guerra. Da brutalidade da guerra, dos traumas de guerra. Perguntei-lhes se tinham visto O Resgate do Soldado Ryan. E perguntei por achar que é um filme onde a brutalidade da guerra, em termos físicos, facilmente se compreende.
Um respondeu logo que tinha um jogo de computador que simulava as cenas do filme.
Não é só a guerra que é brutal.

Sem comentários: