05 maio, 2009

GUERRA E PAZ - XXIII



"- Continuas um sonhador, pelo que vejo - disse Boris, abanando a cabeça.
- E tu continuas um diplomata."Livro III, cap.7

De facto, é difícil imaginar um político a sonhar. Na política e, mais concretamente, na diplomacia, não é o sonho que comanda a vida. São os interesses. O que não é necessariamente mau. Há muitos sonhos que se transformam em pesadelos. Infelizmente, também o contrário é válido: muitos pesadelos que resultam de uma ausência de sonhos.

Sem comentários: