25 abril, 2009

A IDEOLOGIA DA AVALIAÇÃO - A GRANDE IMPOSTURA


Há tempos, postei aqui no blogue alguns excertos de um artigo que tinha escrito no JT, intitulado "O Fascismo da Avaliação". Na altura em que o escrevi não possuia quaisquer referências teóricas importantes a respeito da impostura da avaliação. Fi-lo apenas a partir de uma reflexão pessoal e a minha conclusão não poderia ser outra perante a irracionalidade desse sonho de uma racionalidade absoluta em matéria de avaliação.

Ontem, foi um dia muito feliz. Ia eu a entrar na biblioteca geral da universidade e dou com a capa desta revista que aqui pode ver em cima. Esfreguei os olhos e voltei a olhar. Uma revista toda ela dedicada a denunciar a verdadeira impostura levada a cabo por sociólogos e engenheiros dementes, herdeiros modernos do já bafiento positivismo do século XIX obcecados com a redução da vida, do trabalho, do comportamento a esquemas puramente racionais, observáveis, quantificáveis.
A nossa revolta e indignação já não é apenas um estado de alma, um sentimento de injustiça, uma crítica parcial e oportunista, como pensarão alguns ideólogos do regime socrático. Não. A contestação é filosófica, intelectualmente lúcida, a resistência não é apenas emocional mas teórica, no bom sentido que esta palavra tem.
A quem quiser ler, poderei emprestar. É o meu humilde contributo na luta contra este novo tipo de fascismo e iluminismo de trazer por casa.

3 comentários:

Alice N. disse...

Se eu estivesse mais perto de Torres Novas, perdir-lhe-ia a revista emprestada, pois gostaria muito de a ler. Como não posso fazer-lhe esse pedido, procurei um pouco (abençoado Google!) e acabei por encontrar a versão PDF, no site abaixo indicado. Não é a mesma coisa, mas...

http://www.cairn.info/revue-cites-2009-1.htm

Muito obrigada pela referência bibliográfica, José Ricardo, e pelo belo contributo que quis dar, no sentido de reflectirmos sobre novas e camufladas posturas ditatoriais que têm tido a educação como palco favorito e em nada honram o espírito do 25 de Abril. Como alguém já aqui disse (creio que JLF), nunca se sai daqui "de mãos vazias".

José Ricardo Costa disse...

Cara Alice N,

Não fazia ideia de que havia uma versão PDF da revista. Excelente descoberta, obrigado!

JR

Alice N. disse...

Estive a ver melhor e, afinal, só uma pequena parte da revista é que está disponível em PDF... Sempre é melhor que nada e a boa notícia é que é possível comprá-la on-line.