21 abril, 2009

GUERRA E PAZ - XVII


O capítulo 21 (2ªparte) é de uma violência atroz, colocando-se o leitor no âmago da batalha:

"Parecia que na escuridão fluía um rio escuro e invisível, sempre na mesma direcção, com um barulho abafado de sussurros, conversas, bater de cascos, rolar de rodas. No meio do rumorejar geral, ouviam-se com maior clareza os gemidos e as vozes dos feridos nas trevas da noite. Eram os gemidos deles que pareciam encher todas estas trevas que envolviam a tropa. Gemidos e trevas da noite - a mesma coisa".

Mas a verdadeira escuridão ainda não é essa. Rostov, um pobre soldado que quer descansar e depois de ter sido rejeitado por vários superiores, encontra o capitão Túchin, ao qual implora:

"Dê ordens para me deixarem sentar, por amor de Deus". O capitão, finalmente, autoriza e segue-se este diálogo:

"- Está ferido, meu caro? - disse Túchin, aproximando-se de Rostov.
- Não, tenho uma contusão.
-Mas então por que há sangue na falca da carreta? - perguntou Túchin.
-É do oficial, vossa senhoria - respondeu o soldado artilheiro limpando o sangue com a manga do capote e como que pedindo desculpa pela falta de asseio do canhão".

Este sangue que provoca a falta de asseio do canhão, é a escuridão absoluta. E é nessa escuridão que se encontra Rostov, num momento "Citizen Kane" do texto:

Ninguém se lembra de mim! - pensava Rostov. - Ninguém me ajuda, ninguém tem pena de mim. Mas dantes eu estava em casa, era forte, era alegre, era amado.» Suspirou e, com este suspiro, gemeu sem querer. (...) Rostov não ouvia o soldado. Olhava para os flocos de neve a voltejarem por sobre o fogo e recordava o Inverno russo e a casa quentinha e cheia de luz, a peliça felpuda, os trenós velozes, o corpo sadio e todo o amor e atenção da família. «Por que é que vim para cá?», pensava ele."

Não há dúvidas: a guerra começou mesmo a sério. Mas esta introspecção de Rostov vai muito para além da guerra. Ele pensa assim, neste momento, porque está ferido, num ambiente apocalíptico, sentindo-se desprezado. Mas a sua introspecção é muito parecida com a do filme de Orson Wells, no momento em que Charles Forster Kane morre. Esta introspecçao é muito mais radical, vai muito para além dos ocasionais pensamentos induzidos na consciência de um ser humano pela sua queda num campo de batalha.

Há sempre um veloz trenó na vida de um ser humano.

Sem comentários: