16 abril, 2009

GUERRA E PAZ - XVII


O capítulo 15 (2ªparte) é um hino ao humor. Pela ironia, faz-me lembrar a "Ida à Guerra" do Raul Solnado.
Os soldados russos e franceses estão frente-a-frente, prestes a iniciar uma batalha. Estão quase com os narizes encostados e vão galhofando entre si:
"-Mandaram-nos para aqui para corrermos convosco, e é isso que vamos fazer - Dizia Dólokhov.
-Tendes é de ter cautela em não caírdes nossos prisioneiros, juntamente com os vossos cossacos- disse o granadeiro.
Os espectadores franceses riram-se.
-Vamos obrigar-vos a dançar como dançastes no tempo do Svórov -disse Dólokhov.
- Qu'est-ce qu'il chante? - perguntou un dos franceses.
- De l'histoire ancienne - disse outro.
(...)
Sídorov piscou um olho e, dirigindo-se aos franceses, começou a metralhar palavras incompreensíveis:
- Cari, malá, tafá, safi, muter, cascá - arremedava ele, dando umas entoações muito expressivas à sua lengalenga.
- Ho, ho, ho! Há, há, há! Hu, hu! - explodiram as gargalhadas entre os soldados, umas gargalhadas tão saudáveis e alegres que contagiaram involuntariamente os franceses da linha oposta; depois disto, parecia que só restava descarregar, fazer explodir os projécteis e ir toda a gente para casa".

Tolstói consegue, graças a um efeito narrativo soberbo, explicar o absurdo da guerra. Nos excertos que acabámos de ler, Tolstói infantiliza os soldados (humaniza-os). Deixamos de ver a batalha a partir de cima, com os binóculos. Somos levados para o pé dos soldados, ouvimos as suas brincadeiras, as suas gargalhadas, o seu despique quase pueril. Somos quase tentados a desdramatizar a guerra, transformando-a numa brincadeira de escola.

Só que, depois, Tolstói, encerra o capítulo assim: " Mas as espingardas continuaram carregadas, as seteiras das casas e fortificações continuavam a ser os olhos ameaçadores, e os canhões, retirados dos seus jogos dianteiros, continuavam apontados".

Afinal, não era bem uma brincadeira no recreio da escola. Nem sequer, apesar de o parecer, um despique entre velhos amigos que se conhecem há longo tempo. As gargalhadas, aqueles diálogos divertidos, apenas disfarçavam a tragédia que estava prestes a começar.

Sem comentários: