05 abril, 2009

ESPECTROS


O Público de hoje trazia um artigo sobre Aleksandr Glyadyelov, fotógrafo polaco que reside na Ucrânia. Nesta fotografia, de 1996, em Kiev, vemos duas meninas de 9 anos, viciadas em cola.

É uma fotografia brutal. E a brutalidade é acentuada pelo contraste entre o movimento dos transeuntes que sobem as escadas e o congelamento das duas meninas que respiram a cola. No meio da azáfama diária de uma grande cidade, ali estão elas como dois espectros. Lembra-me o Shinning, do Kubrick, quando o garoto anda a grande velocidade pelos longos corredores do hotel e, de repente, lhe surgem as duas gémeas vindas do além.

Há ainda outro elemento brutal nesta fotografia mas que, para o entendermos, implica um pequeno exercício da nossa parte. Como verão duas meninas de 9 anos cuja vida mental e percepção é alimentada a cola, as pessoas que ali passam na sua azáfama diária? Espectros em movimento. Aquelas meninas são dois espectros rodeadas de espectros.

De faltar o ar.

Sem comentários: