21 fevereiro, 2009

CIÊNCIA E IDEOLOGIA


Graças a um comentário do José Trincão Marques cheguei até uma carta (pode ser lida aqui) que Álvaro Cunhal escreveu, em 1951, ao director da prisão onde se encontrava, a propósito das teorias de Darwin.

Eu sempre achei muito interessantes estas reflexões ideológicas à volta da ciência. Neste caso, Álvaro Cunhal problematiza o facto de Darwin fazer "ciência comunista". É evidente que só um ignorante iria defender tal ideia. Bem pelo contrário, o que Darwin nos quer mostrar é precisamente o facto de existir uma "luta pela vida" na qual os mais fracos ( se não souberem adaptar-se) saírão sempre prejudicados. Mas, enquanto comunista, também interessa a Cunhal defender um modelo científico em detrimento de uma visão teológica, religiosa ou até metafísica da natureza, do homem, da história.

Álvaro Cunhal tem razão quando diz que a Teoria da Evolução não é "ciência comunista". Mas também é verdade que não se trata de uma ideia completamente despropositada, tal como a de "arte comunista". Aliás, chegou mesmo a existir, em tempos, a noção de "Biologia Proletária".

A Ciência, por princípio e definição, não é ideológica. Mas é uma arma demasiado séria e podeerosa para ser desprezada pelas ideologias.

Sem comentários: