28 fevereiro, 2009

BERLIN A LESTE


Isaiah Berlin em As Origens de Israel:

"Quase sem excepção, ao longo das suas vidas, todos os judeus tropeçaram, mais cedo ou mais tarde, num quid chamado a questão judaica. Um inglês, um francês, um belga, um chinês, um português não sentem a aflição, no início da sua vida consciente, por um quid chamado questão belga, questão chinesa ou questão portuguesa. Esta consciência de si dos judeus enquanto seres particularmente problemáticos fez um milagre da criação do Estado de Israel".

O tio Berlin que me perdoe mas, no meio de toda a sua vasta erudição, dá para entender que de Portugal saberia muito pouco. Só isso explica ter recorrido aos portugueses (para já não falar dos belgas!) como exemplo de um povo "sem questão", "seres não problemáticos" e cujo país não se entenderá sem ser através de um milagre. Que outra coisa senão uma sucessão de milagres, desde Ourique até à Restauração, permitiu que um povo com esta consciência de si tivesse direito a um Estado? Desde que me conheço como português que não tenho pensado noutra coisa.

1 comentário:

José Borges disse...

E um judeu português? Chiça penico!