17 fevereiro, 2009

ANGELINA NA LUZ

Nos últimos dias, o Jorge tem-nos trazido um ciclo de belos poemas a partir de quadros do Hopper. Ontem à noite assisti a um espectáculo cinematograficamente deslumbrante: uma hopperiana Angelina Jolie.
O filme é excelente sob todos os aspectos. Mas aquela luz de 1928 e uma triste e solitária Angelina Jolie na luz de 1928, é um filme dentro do próprio filme.

Sem comentários: