09 janeiro, 2009

SOBRETUDO PRETO E ÓCULOS ESCUROS


Hoje de manhã cedo, no frio da Covilhã, dei comigo com um sobretudo preto e óculos escuros. É a primeira vez na vida que ando com um sobretudo preto, ainda por cima, com óculos escuros.

Ok, Sartre morreu, Camus morreu, Simone morreu, Juliette Gréco para lá caminha, Ma Nuit Chez Maud pertence quase ao tempo do cinema mudo, já não se ouve Jazz nas caves de Saint Germain como antigamente, nem o suicídio e o alcoolismo são o que eram.
Mas, hoje, dia 9 de Janeiro de 2008, pela primeira vez na vida senti-me um existencialista.

1 comentário:

adsensum disse...

Como eu o compreendo...