25 janeiro, 2009

EVESHAM

1 comentário:

marga disse...

Não ha nada mais libertador que um relógio parado, é certo... e um relógio que anda ao contrário? Daria jeito em determinadas alturas, não é? PElo menos naqueles últimos minutos da vida...