31 janeiro, 2009

CONTREJOUR

Sabine Weiss, 1953

3 comentários:

Alice N. disse...

Uma das minhas fotos favoritas, não só pela sua dimensão estética, mas muito pelo que nela podemos ver de nós mesmos. O que move a pessoa que ali vemos (e que pode ser qualquer um de nós)? Foge essencialmente das trevas ou vai sobretudo ao encontro da luz? Aparentemente, uma coisa implica a outra, mas creio que não é assim tão linear e que há uma grande diferença entre uma e outra atitude. Isto digo eu que nada sei de Filosofia... Mas sei das trevas e sei da luz...

Ivone Mendes disse...

Alice

Grande frase. "Mas sei das trevas e sei da luz". Nem mais.Há um orgulho subtil nesta frase: no fundo, sabe tudo o que é preciso saber da vida.
Como depreenderá, a minha especialidade são as trevas, não lhe chego aos calcanhares.

Ivone Mendes

Alice N. disse...

Ivone,

Agradeço a bondade das suas palavras. Sensibilizaram-me muito.

Não tenho a honra de a conhecer pessoalmente, mas pelo que conheço de si através do blogue, jamais me atreveria a medir calcanhares consigo!
O tamanho das pessoas mede-se pelo que com elas aprendemos e crescemos. É por isso que sinto uma grande admiração e profunda gratidão para com os autores deste maravilhoso blogue que acompanho desde a primeira hora.

Alice Nascimento