01 novembro, 2008

A MORTE DE BADARÓ


Coveiro
Esta caveira que vedes, senhor, é a caveira de Yorick, o bobo do Rei.

Hamlet
Esta?

(Pega na caveira)

Coveiro
Essa mesmo.

Hamlet
Ah, pobre Yorick! Eu conheci-o, Horácio, uma pessoa de infinita graça, da mais fina fantasia. Mil vezes às costas me levou, e agora - que abominável me é isto à ideia. Faz-me um nó na garganta. Daqui pendiam os lábios que um ror de vezes beijei. Onde estão agora as suas galhofas e cabriolas, aquelas cantigas e assomos de chacota, que costumavam lançar toda a mesa num tumulto? Não há agora que ninguém que zombe do teu sorriso? Ficaste de queixo à banda? Vai agora até à câmara de uma dama e diz-lhe que, pinte-se ela com pó espesso de um dedo, com essa tua figura se há-de finar. Fá-la rir disso.

William Shakespeare, Hamlet, Acto V, cena I

Sem comentários: