12 outubro, 2008

POETAS DESCONHECIDOS

Deves viver, inesperada, à beira-morte
prendendo teus gestos na curva do silêncio,
tocando a fronte dos deuses mais altos
como tu,
branca geometria de olhos puros,
construindo rosas, indícios e uma vaga saudade
de noiva não nascida - a única
pelos humanos esperada eternamente
à nocturna varanda dos poemas.
Vítor Matos e Sá (1926-1975)

1 comentário:

Anónimo disse...

Para mim, na verdade, desconhecido.

Mas vate consumado. De grande qualidade.
Registei, por exemplo: "prender os teus gestos na curva do silêncio", "branca geometria de olhos puros", "à nocturna varanda dos poemas"

jl