25 outubro, 2008

GRANDES FILMES: JOHN HUSTON - GENTE DE DUBLIN, 1987

Não é um grande filme. É um filme absoluto. Um daqueles filmes para se verem antes de morrer. Vi-o três vezes, a primeira das quais, ainda nos anos 80, no velhinho cinema Mundial. Hei-de voltar a vê-lo ainda antes daquela que será a última vez.

O verdadeiro título é The Dead. Alguém se lembrou de lhe chamar Gente de Dublin, simplesmente porque se baseia num conto de James Joyce, inserido num livro chamado Dubliners, Gente de Dublin, em português. O conto propriamente dito tem o título que veio a ter o título original do filme.

Foi o último filme de John Huston, o seu canto do cisne. Nós estamos a ver o filme e estamos a ver a consciência do realizador perante a sua própria morte. Mas é muito mais do que isso. Para além dos belos interiores, do quente ambiente irlandês, há muito mais: a nossa fragilidade, a nossa finitude, a nossa natureza enquanto seres-para-a-morte.

Ah, e uma Angelica Huston, filha do realizador, neste filme absoluto, absolutamente divinal. Pelo amor de Deus, não morra sem ver este filme.

1 comentário:

Anónimo disse...

(será agora que consigo comentar?)


Li (e vi) com atenção. E registei.
E vou seguir o conselho: não vou perder, desta vez, o filme do realizador(-actor) de múltiplos amores (artes, desporto e relações).
Mas preferiria encontrá-lo em DVD...

jl